Cuidados que você deve ter ao escolher a administradora do seu condomínio

Você já sabe que uma administradora de condomínios é a responsável, de forma geral, por auxiliar o síndico a manter o condomínio em perfeito funcionamento, certo? Entretanto, para alcançar esse resultado, é preciso que a empresa preste um serviço de qualidade. Do contrário, é possível que a falta de auxílio — ou até mesmo a condução errônea de problemas e imprevistos — pode tornar um prédio em boas condições em um local precário e com as contas negativas. 


Você não quer correr esse risco, certo? No artigo de hoje, listamos 6 cuidados e considerações que você deve ter ao escolher a administradora do seu condomínio.

1- Faça um levantamento das administradoras disponíveis

Verifique quais empresas podem fazer esse serviço e as coloque em uma lista. Pesquise sobre cada uma delas e considere os seguintes aspectos: indicação, reputação, tecnologia, perfil e proximidade. Dessa forma, você poderá analisar com mais propriedade quais parecem exercer um trabalho sério para, após isso, entrar em contato para conhecê-las de forma mais aprofundada.

2- Faça um contato mais próximo com as administradoras

Depois de elencar as possíveis administradoras do seu condomínio, é hora de conhecer de perto os serviços que elas têm a oferecer. O ideal é que seja realizada uma reunião presencial para poder entender com completude o mix de serviços e avaliar um fator importantíssimo: o atendimento ao cliente. Gerir um condomínio é estar em contato com outras pessoas grande parte do tempo, portanto, a forma como a administradora tratará você durante uma reunião para apresentação de serviços será como uma amostra do atendimento futuro.

3- Verifique os preços cobrados e a situação do contrato

O barato pode sair caro! Se uma das candidatas à administradora apresentar um preço muito abaixo do mercado, desconfie e busque mais informações. Questione a empresa sobre quais serviços são contemplados com o valor e quais extras serão cobrados futuramente. Essas taxas, aliás, devem ser observadas no contrato. A maioria da empresa cobra paralelamente por alguns serviços, como assembleias, taxas bancárias, boletos e cobrança de inadimplentes.

4- Alinhe as expectativas com a nova administradora

Para evitar conflitos futuros, deixe claro para a empresa o que você espera de seus serviços e sempre busque o melhor para o condomínio. Ao escolher uma nova administradora, certifique-se de esta oferece serviços melhores do que a administração antiga. Afinal, essa mudança precisa trazer evolução e benefícios para o condomínio, não é mesmo?

5- Preocupe-se com a segurança do seu dinheiro

Uma administradora de confiança se responsabiliza pelo uso do dinheiro do condomínio. É por isso que no contrato deve constar uma cláusula que garanta a reposição de fundos caso algum valor seja perdido por erro da administradora, ou por fraude. É dessa forma que administradoras de baixa qualidade ou mal intencionadas, a propósito, causam endividamento de condomínios que, inicialmente, estavam com as contas positivas.

6- Verifique todos os detalhes a respeito das administradora

Não economize tempo na hora de garantir o melhor para o seu condomínio! Antes de contratar uma administradora, cheque detalhes como os nomes dos sócios (para checar a existência de ações criminais), os bens que estão no nome da empresa, se possui CRECI (número obrigatório de inscrição no Conselho Regional de Corretores de Imóveis) e se a empresa é filiada à entidades do setor, como SECOVI, AABIC e ABADI.

Executar cada um desses passos com cautela e atenção é a garantia de que a administradora de condomínios escolhida não trará problemas ao local, mas sim soluções, evolução e harmonia para os moradores. Se você desejar saber mais sobre o trabalho de uma administradora especializada, entre em contato conosco e não deixe de acompanhar nosso blog!