Assimob propõe medidas de ação para repensar a economia de Caxias do Sul

Em audiência realizada na última terça-feira, 16 de fevereiro, o presidente da Associação das Imobiliárias (Assimob) de Caxias do Sul, Fernando Gonçalves dos Reis, entregou ao presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC), Nelson Sbabo, um documento assinado pela entidade, contendo uma série de sugestões, de estratégias e ações para repensar a economia da cidade. O ofício registra, também, a preocupação da Assimob com o atual cenário econômico, a retomada do desenvolvimento e o planejamento da Caxias do Sul do futuro.

Na avaliação de Reis, que também é sócio e diretor executivo da Prolar Imobiliária Inteligente e vice-presidente da Associação Brasileira do Mercado Imobiliário (ABMI), o encontro foi bastante proveitoso. “Foi uma conversa agradável e gratificante, especialmente por perceber que a CIC foi receptiva. Como dirigente da entidade que representa os três segmentos da economia de Caxias do Sul, Sbabo prometeu levar as sugestões a debate no Conselho de Economia da CIC”, destaca o presidente da Assimob. No entendimento dele, é necessário agir, para cuidar da cidade e deixar um bom legado às novas gerações.

Ao final, Reis deixou o setor imobiliário como um todo à disposição para contribuir com o processo. “Acreditamos que está na hora de agirmos não apenas com vistas ao curto prazo, mas também ao médio e longo prazos. As mudanças e as rápidas inovações tecnológicas, bem como estruturais na sociedade mundial, exigem de nós uma resposta à altura daquela que, sabemos, temos potencial”, enfatiza Fernando Gonçalves dos Reis.

   

 

Sugestão é criar comissão permanente de trabalho para repensar a atual matriz produtiva

 

Conforme dados recentemente divulgados pela pesquisa da empresa Qualytool Consulting Group, o município de Caxias do Sul conta com mais de 62 mil empresas (sendo um CNPJ para cada 7,47 habitantes). Porém, na avaliação do presidente da Assimob, Fernando Gonçalves dos Reis, fica evidente a dependência da economia caxiense ao setor metal-mecânico, que movimenta 45,9% dos empregos e 36,1% do faturamento.

Nesse sentido, considerando o atual cenário de recessão e de rápidas mudanças globais, o documento relaciona sugestões e apresenta ideias advindas de debates no meio empresarial do segmento imobiliário. Reis salienta que a economia caxiense, sobretudo na sua matriz produtiva, precisa ser avaliada e repensada, com vistas a preparar uma condição melhor para o futuro.

Entre as sugestões levadas ao conhecimento da presidência da CIC, propôs-se a estruturação de uma comissão de trabalho, formada por entidades representativas, órgãos municipais, estaduais e federais, com representantes da sociedade civil, sindicatos patronais e de trabalhadores, além de profissionais técnicos qualificados, com a finalidade de estudar a atual matriz produtiva, bem como os gargalos logísticos e todos os fatores que impactam na competitividade local. A partir desta comissão, supõe-se criar subgrupos para aprofundar o estudo e propor medidas específicas, visando o desenvolvimento, além de planejar a cidade para os próximos anos.

Outra proposição constante no ofício é a definição de estratégias e ações junto aos setores produtivos e seus representantes, bem como setor público, para que promovam o incentivo ao desenvolvimento dos negócios, com reflexos na economia, a diversificação da matriz produtiva, a melhoria da infraestrutura, o desenvolvimento urbano, a pesquisa e o desenvolvimento científico, social e educacional para os novos tempos.